Últimos artigos

Eu, tu e eles – Todos na mesma cama

Sem compromisso afetivo, homens e mulheres aderem cada vez mais ao swing, em encontros que acontecem em festas particulares e clubes especializados. Sexólogos e psicólogos alertam para os riscos da troca de parceiros. O swing é como uma cocaína que vicia. Praticantes querem ir outras vezes e começam a se interessar por sites e por anúncios de outros casais.

Não há novidades em relação ao sexo grupal e à troca de casais. A Bíblia cita passagens sobre Sodoma e Gomorra, cidades onde a prática era corriqueira e livre. A mitologia grega e a romana mostram deuses cultuados em orgias que se tornaram conhecidas como bacanais — nome dado em homenagem a Baco, o deus do vinho, chamado de Dionísio pelos gregos — que celebravam a “alegria” e os ciclos vitais.

Segundo os especialistas em venereologia, a prática dos encontros sexuais habitualmente variados e as trocas de parceiro, aumentaram consideravelmente o número das DSTs no decurso da última década. Se com um já é perigoso ser infectado, imagine com vários.

Muitas vezes o swing traz consigo violência, desejos anormais e um comportamento compulsivo, visto como a única opção na hora do sexo, já que não há amor entre os participantes.

Deus instituiu o sexo para ser desfrutado dentro do casamento e com o cônjuge exclusivamente. Podemos entender que a presença de terceiros na relação sexual do casal, mesmo que seja virtualmente, como nos casos de filmes ou revistas pornográficas, não estão conforme os planos e sonhos de Deus, ferindo o princípio da privacidade visual ou auditiva entre o casal. A relação sexual é algo que deve ser compartilhada a dois e não para terceiros verem ou ouvirem.

Fontes: www.sistemas.aids.gov.br - www.correioweb.com.br - www.clickfamilia.org.br

 

“Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine.” (1 Coríntios 6:12)

“Que o casamento seja respeitado por todos, e que os maridos e as esposas sejam fiéis um ao outro. Deus julgará os imorais e os que cometem adultério.” (Hebreus 13:4)

 

Conheça o original aqui.