Últimos artigos

Festival Católico: Fé e orações marcam a primeira noite


Acompanhado por uma multidão, o padre Antônio Furtado celebrou missa de abertura do festival, que segue até domingo no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU). Famílias inteiras aproveitam festa para se aproximar de Deus.

Fieis lotaram o CEU no primeiro dia de Halleluya (SARA MAIA) Fieis lotaram o CEU no primeiro dia de Halleluya (SARA MAIA)

As bênçãos do padre Antônio Furtado deram o tom da primeira noite do Festival Halleluya. A missa celebrada pelo religioso transformou o Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), no Castelão, em um verdadeiro templo. Com velas nas mãos, uma multidão emocionada adorou o Santíssimo e deu as boas-vindas à 14ª edição do festival. Com shows, teatro, esportes radicais e espaços de oração, o evento gratuito segue até domingo.

Pela segunda vez, a auxiliar de costura Neusa Maria das Dores Rodrigues, 40, participa do Halleluya. Ela conta ter se preparado para, em plena quarta-feira, mudar a rotina e ir ao festival. “Venho ouvir a palavra de Deus. É importante”, diz. Chama a atenção de Neusa a grande quantidade de jovens no encontro. “É raro ver isso”, destaca, admirada.

Bem em frente ao palco, a jovem Eglantine Feitosa, 16, cantava todas as músicas da celebração e aproveitava cada momento de oração. Em duas kombis, ela e mais 29 amigos de um grupo religioso deixaram a Maraponga para aproveitar a primeira noite de Halleluya no CEU. Todos os anos é assim. “Venho sempre porque me sinto feliz aqui”, comenta. Entre as atrações musicais mais esperadas pela estudante, a banda Rosa de Saron, que fecha a programação de hoje.

O vigilante Francisco José de Souza Pereira, 31, levou a esposa, Márcia, e a filha Emanuely para orar. “Daqui a gente não volta vazio, não fica com ressaca”, diz. Márcia comenta que Emanuely, de 11 meses, sempre acompanha os pais. “Ela vem desde que estava na minha barriga”, sorri a mãe.



Notícias Cristãs com informações do O Povo